Todos os direitos reservados © Sino Valentim - 2015-2018

Passarim - Raphael Rabello
00:00 / 00:00

O Menino e o Balão

Cai cai balão

Cai cai balão

Na Rua do Sabão

O que custou arranjar aquele balãozinho de papel

Quem fez foi a mãe do menino

Comprou papel de seda, cortou-o com amor, compôs os gomos triangulares

Depois ajustou um pedaço de gaze com parafina ao bocal de arame.

Ei-lo agora que sobe - pequena coisa tocante na imensidão do céu.

Levou tempo para criar fôlego.

Bambeava, tremia todo e mudava de cor.

A molecada da Rua do Sabão gritava com maldade:

Cai cai balão!

Subitamente, porém, entosou, enfunou-se e arrancou das mãos que o tenteavam

E foi subindo...

Para longe...

Serenamente...

Manuel Bandeira

(Na Rua do Sabão/fragmento)